kl_mag_change-makers_bee-keeper_header_desktop 1920x483

FABRICANTES DE MUDANÇAS “Sou um apicultor socialmente empenhado"

Quase se poderia dizer que ele caiu nela quando era criança. Fascinado pelo trabalho das abelhas, aos 12 anos de idade, quis a sua primeira colmeia

Hoje, aos 19, gere mais de cinquenta colónias. Mathieu tornou-se mais do que um apicultor empenhado. Para além do delicioso mel que produz na região de Tarn, em Lavaur, vende equipamento de apicultura na sua loja. Além disso, ensina na sua "escola de colmeias", e oferece cursos de apicultura para indivíduos e empresas. É também autor de um livro (a paixão de um jovem apicultor) e escreve para o blogue beefeed.com. Mathieu irradia paixão. Está certo de que cuidar das abelhas pode mudar tudo. Aconselha-nos vivamente a plantar flores. Entre outras coisas. E penso que é melhor ouvirmos alguém que nos faça adotar um enxame de abelhas.

kl_mag_change-makers_mathieudomecq_body 3 472x472

As abelhas são o catalisador da biodiversidade.

Mathieu DomecqChefe de Operações em Les Ruchers de Mathieu

Quando conheceu a sua primeira abelha?

Comecei muito jovem, tinha 12 anos. Tinha o desejo de montar uma colmeia. Não era um negócio familiar, eu estava apenas entusiasmado por descobrir as abelhas, a observá-las no meu jardim. O meu primeiro objetivo não era fazer mel, mas estar realmente apenas em contacto com as abelhas. Suponho que foi um capricho de criança, que no final se tornou um interesse graças a um sólido sistema de apoio. Pouco a pouco foi crescendo, e hoje tenho cerca de cinquenta colmeias.

 

Porque é que as abelhas são tão importantes para a biodiversidade?

Já estamos dependentes delas: 80% da polinização é realizada por abelhas. E sem polinização, e não há mais flores, frutas ou legumes, nem mesmo a carne é segura. Afeta todos os setores, todos os tipos de dietas. As abelhas são o catalisador da biodiversidade. Elas estão lá para unir todo o ecossistema. Se saírem de cena, não restará nada.

  • <span class="ezstring-field">kl_mag_change-makers_mathieudomecq_body 5 367x460</span>
  • <span class="ezstring-field">kl_cornflower_active-ingredient_field_plant_2020-8- 367x460</span>
  • <span class="ezstring-field">kl_mag_change-makers_mathieudomecq_body -2- 367x460</span>

Como estão as abelhas hoje em dia?

Infelizmente, não estão bem. Em média, perdem-se mais de 30% das colónias anualmente em todo o país. A primeira coisa que as afeta é a falta de flores. São necessárias mais de 21 milhões de flores por colmeia por dia! É um número que até para imaginar é difícil...
Existem também doenças e parasitas, tais como o vespeiro e a varroa. E depois, claro, nós, humanos, pesticidas e outros produtos químicos.

 

Fale-nos da sua missão, o que está a fazer hoje?

Estamos a fazer imensa sensibilização. Para garantir que as pessoas sejam educadas. A começar pelas crianças nas escolas. Depois com indivíduos e quadros de empresas que vêm e participam em cursos para descobrir a vida da colmeia. Depois, partilham o seu conhecimento e interesse pelas abelhas com aqueles que as rodeiam. Estão a ser criadas novas colmeias, e nós estamos a apoiá-las. Há três anos, até lançámos com grande sucesso um patrocínio para colmeias em todo o país.

As abelhas podem viajar para longe para recolher alimentos?

Felizmente, as abelhas podem voar até 3 km para encontrar flores, o que é uma distância decente. Mas ainda vemos falta de recursos em certos lugares. Estamos a lançar projetos de prados de flores ao lado de empresas que instalaram colmeias, por exemplo, para ajudar as nossas abelhas e, por sua vez, a biodiversidade em geral.

 

Haverá algo pequeno que todos possamos fazer, todos os dias, para fazer uma mudança?

As flores são muito importantes em muitos aspetos, e importantes para cada inseto. Um conselho que eu daria seria evitar cortar a sua relva muito curta. Isto permite deixar crescer algumas flores, mesmo que sejam apenas trevos, margaridas ou dentes-de-leão, para ajudar a biodiversidade. E é igualmente agradável. É um simples primeiro passo para qualquer pessoa que tenha a sorte de ter um jardim!

Voltar ao topo